Jovem pecuarista consciente | Comida Boa - Do Campo à Mesa

Temas Temas
Temas

Jovem pecuarista consciente

Jovem pecuarista consciente

Cada vez mais o agro atrai os jovens. A escolha de não deixar o campo, ou de retornar a ele, fortalece o setor. Jovens produtores e criadores ajudam a desenvolver a agropecuária com inovação, conhecimento e sustentabilidade.

João Vitor Vasconcellos, 25 anos, nasceu em Pirassununga (SP), mas hoje vive em Três Lagoas (MS). A terra e a criação de animais fazem parte da história da família, que traz uma bagagem cheia de aprendizados. João Vitor faz parte da terceira geração dessa família que trabalha no campo com responsabilidade e sustentabilidade.

Como foi construída essa sua relação com o agro?

Meu avô paterno era agrônomo e meu avô materno é produtor rural. Eles trabalhavam juntos e foi por isso que meus pais se conheceram. Minha relação com o agro vem desde criança.

Todos os finais de semana, estava na fazenda de produção de laranja do meu avô em Pirassununga. Sempre que podia vinha com meu avô para Três Lagoas onde a atividade é a pecuária. Em 2013, meu avô decidiu vender a fazenda de laranja por conta das dificuldades impostas pelo “greening” (doença bacteriana que atinge os citros) e adquiriu outra propriedade para expandir a pecuária, também no Mato Grosso do Sul.

E quando deu aquele “start”: é no campo que quero ficar?

Esse contato desde novo com o agro despertou minha paixão pelo campo e, cada vez mais, me via fazendo algo na área. Em 2014, iniciei o curso de medicina veterinária na USP (Universidade de São Paulo) em Pirassununga. Os 5 anos do curso foram os que fiquei mais distante das fazendas da minha família.

Porém, mesmo à distância, sempre procurei ajudar com o que podia. Durante esses anos, houve uma transição gradual e meus pais foram assumindo a liderança da fazenda com a abertura e o incentivo do meu avô. A mudança levou a um grande incremento de tecnologia e aumento de produtividade.

Assim que concluí o curso, me mudei, definitivamente, para Três Lagoas e assumi a parte de reprodução, melhoramento genético e nutrição da fazenda.

Qual é o maior desafio na criação de animais e preservação de recursos naturais?

No ano de 2019, decidimos lidar com uma das nossas maiores preocupações na atividade, e passamos a produzir feno e pré-secado para o inverno, o que abre uma nova possibilidade de expansão da produção na fazenda, além de uma nova alternativa de renda.

Em relação aos recursos naturais, investimos forte na rede hídrica da fazenda. Até o fim do ano, 100% dos nossos pastos terão água encanada, foram mais de 30 km de tubulação para chegarmos nesse objetivo, e com isso pudemos cercar todas as APP´s (Área de Preservação Permanente), represas e nascentes.

Acredito que o maior desafio não é produzir com sustentabilidade e, sim convencer o público em geral do compromisso do produtor rural com a sustentabilidade e bem estar dos animais. Hoje, somos 3 gerações trabalhando juntas com um mesmo objetivo: nos tornarmos uma fazenda cada vez mais produtiva, sustentável e eficiente.

Usamos cookies para melhorar a experiência de nossos usuários em nosso site. Ao acessar nosso conteúdo, você aceita o uso de cookies como prevê nossa política de cookies. SAIBA MAIS

Aceitar